Perigos natalinos para nossas mascotes

A planta bico-de-papagaio ou ponsétia (Euphorbia Pulcherrima) representa um perigo para nossos animais de estimação, especialmente se ingerida. Esta planta contém muitos produtos químicos, mas o mais diretamente responsável pelo envenenamento de nossos animais de estimação é a euforbina.

A ingestão desta planta provoca vômitos, diarreia e problemas de deglutição, juntamente com o inchaço das áreas expostas como a língua, faringe... Em gatos, também é comum ver muita salivação.

Esta planta é irritante, então a irritação também pode ocorrer pelo contato, tanto da pele como pelos olhos ou boca. Isto é particularmente importante no caso das famílias com gatos, porque nossos gatos não tendem a ter problemas para saltar até áreas superiores ou locais mais inesperados para em seguida esfregar o rosto com qualquer coisa que encontrar.

Este gesto tão felino pode fazer que partículas de pólen ou algumas gotas de seiva da planta possam causar danos nos olhos, podendo até mesmo causar úlcera corneal e, dependendo do tempo que levamos para perceber as lesões, uma perda de visão de maior ou menor grau.

Em caso de ingestão, a evolução tende a ser favorável, principalmente em animais adultos e com o tratamento adequado. No entanto, pode aparecer um quadro nervoso com tremores, delírio e coma, em caso de ingestão volumosa, e é preciso acrescentar que há referências de envenenamentos fatais na bibliografia.

Este envenenamento, nos dias de hoje, não pode ser tratado com nenhum antídoto, então o principal é evitar a absorção intestinal do veneno de um lado e do outro contra-atacar os sintomas que aparecem.

Azevinho, um veneno natural para seu animal de estimação

Outra planta também normalmente usada para decorar casas para o Natal e que também pode ser perigosa para os nossos animais de estimação é o Azevinho (ou Ilex aquifolium). Sendo uma planta com espinhos, a parte que nossos animais de estimação normalmente comem são as bagas, mas as folhas também são tóxicas. Deve-se ter especial cuidado com os filhotes, que geralmente mostram mais curiosidade e desejo de explorar o mundo que outros animais.

A ingestão destas bagas provoca sintomas gastrointestinais como náuseas e vômitos, juntamente com , um aumento da quantidade de urina excretada, por vezes é acompanhada de diarreia grave. Em gatos podem aparecer muita salivação devido o gosto amargo da planta.

Se o nosso animal de estimação ingeriu uma grande quantidade, a intoxicação é considerada muito grave e potencialmente fatal se sintomas nervosos como sonolência, prostração e coma aparecerem. Apesar das doses tóxicas ou mortais sempre variarem de acordo com o peso de quem as comeu, considera-se que aproximadamente 20 bagas de Azevinho são suficientes para causar a morte de um cão de porte médio.

Meu gato sobe na árvore de Natal

Outros perigos potenciais aos nossos animais de estimação são itens de decoração de Natal, bolas da árvore de Natal ou miniaturas do presépio podem tornar-se um corpo estranho no intestino da nossa mascote. Se você suspeitar que ele tenha ingerido algum tipo de corpo estranho você deve ir para o veterinário, que fará um exame físico e provavelmente raios-x para ver se há ou não um objeto e sua localização. A situação será mais ou menos grave dependendo do resultado, e nós saberemos se podemos corrigi-la usando meios menos invasivos, como a endoscopia, ou mais invasivos, como as técnicas de cirurgia.

Em casas com gatos, temos que ter em mente sua capacidade de derrubar a árvore de Natal. Cada um de nós conhece nossos animais de estimação e suas manias, por isso devemos adaptar a decoração de nossa casa à sua segurança.

No Natal, uma época de família e refeições muito abundantes, também temos que impedir o acesso de nossos animais de estimação ao lixo e cuidar quanta comida ele recebe de cada convidado (especialmente crianças) por debaixo da mesa...

Como devo agir em um possível caso de intoxicação?

Nosso primeiro conselho é sempre prevenir. Você chega em casa, encontra um desastre e seu cachorro ao lado. Coloque-o em outra sala, para que não possa continuar comendo restos do veneno em questão (em geral, mudar o local do cão é mais rápido que remover a fonte do veneno).

Após isso, avise seu veterinário da situação. Ele fará perguntas para avaliar a gravidade da situação e passará recomendações apropriadas para ajudar a sua mascote enquanto você está a caminho do hospital. Baseado nos recursos de seu centro da atenção veterinária habitual, é possível que seu veterinário recomende que ele seja transferido para um centro de emergência de referência. Se for necessário, avise um amigo, um parente ou chame um táxi para que a transferência seja rápida.

Ligue sempre para o centro a que você vai se dirigir, informando a ele a situação, as características do seu animal (espécie, idade, tamanho…) e a provável hora de chegada de modo que eles possam se preparar para tomar cuidado de sua mascote.

Irene Vehí Pomés.