Por que não comprar um cachorro no Natal e sim adotar um?

O Natal está chegando e, com ele, um dos maiores problemas sofridos por cães, gatos e outros animais: a criação indiscriminada deles para serem vendidos nessas datas. Certamente você já sabe, mas existem organizações e criadores privados que prendem as fêmeas em quartos sem qualquer tipo de higiene, fazendo-as dar à luz sem parar até que estejam exaustas e sejam sacrificadas.

Os filhotes não têm muito mais sorte, pois não recebem as vacinas, são trancados em gaiolas e enviados a qualquer parte do mundo em que haja um comprador. Esta máfia não somente existe na Espanha, mas em qualquer lugar no mundo. Naquele país, o tráfico de animais é o segundo dos negócios ilegais que mais move dinheiro, incluindo também neste grupo o mercado de animais exóticos e protegidos, mas em todo mundo tem ocorrido casos bastante alarmantes.

Porque adotar e não comprar

O jornal El País mostra que em 2016, na Carolina do Norte, foi encontrado um indivíduo que encarcerava em sua casa mais de 100 cães em gaiolas muito pequenas a fim de vendê-los. Novamente na Espanha, na cidade de Burgos, sem nos alongarmos muito, a guarda civil deteve uma mulher que vendia cães pela internet sem nenhum tipo de licença e garantias sanitárias. Por causa disso, existem muitos casos de cães chegando a sua nova casa sem forças, com um sopro de vida, cheio de parasitas e doentes, morrendo pouco depois.

Por que esta situação acontece e continua acontecendo? Na Espanha é legal vender animais pela Internet, sendo considerada uma atividade econômica legal, de modo que nós só podemos processar aqueles que o fazem quando nós sabemos que estão exercendo esta atividade sem pagar impostos por ela, vendendo animais entre os indivíduos que não são uma companhia, o que é considerado ilegal. A lei protege também, infelizmente, sua compra nas lojas.

Em 2016, foi feita uma tentativa em Madri, através de uma lei, na qual a venda de cães e gatos ocorreria sem a presença física dos mesmos nas lojas. Isso pouco ajuda, na verdade, pois muito pouco se sabe se certas condições de higiene são igualmente fornecidas aos animais ou se são tratados como objetos, pelos vendedores e por aqueles que os compram.

Porque adotar um animal abandonado

Sabemos por que isso acontece: a criação de cães ilegais e sua venda é um negócio multimilionário. No ano de 2015 foi apresentado um projeto de lei apenas para tentar evitá-la e colocar um freio nela, mas acabou sendo convertido em meras diretrizes e dicas para criadores. Saber que tanta gente trata cães e gatos como se fossem 'coisas' nos leva a entender porque, nos anos passado, mais de 130.000 animais foram abandonados, quantos desses você acha que foram comprados no natal e tratados como um objeto descartável? Quantos terão sido abandonados para provar que um cachorro não é lixo, e sim uma responsabilidade?

Logo estaremos na época. Volta o Natal e também as lojas de animais de estimação voltam a ficar cheias de filhotes, além da internet também ficar cheia de ofertas, uma situação que muitos querem erradicar. Se a lei não faz nada para resolver este problema, qual é a solução? Bem, muito simples: não compre, adote. Viver em uma sociedade capitalista ensina que ninguém vende algo que ninguém quer comprar. O dia em que a demanda cessar graças à conscientização também acabará com a venda ilegal.

A solução para a venda ilegal de cães? Não comprar

Nós não queremos deprimi-lo com este artigo, na verdade, queremos incentivá-lo a participar desta causa, porque funciona. Publicado no Palma, segundo a associação Son Reus os casos de adoção aumentaram em 60% comparado ao período passado. O europapress dedica um artigo para contar que os casos de abandono diminuíram 28% no ano passado. A esperança existe.

Embora as sanções sejam ridículas e as cadelas sejam forçadas a dar a luz continuamente, a consciência social está aumentando e as penas por maus tratos com animais estão ficando mais rígidas. A guarda civil multa e prende cada vez mais criminosos que prejudicam a vida dos peludos e estamos mais motivados a denunciar, acabar com a venda de animais e terminar com tanto sofrimento.

É por isso que encorajamos você a não comprar um cachorro, adote um, mas não apenas a isso. Se neste Natal você encontrar alguém que lhe diga que quer comprar um cachorro, fale com ele sobre essa outra opção, dê-lhe o número de telefone do abrigo da sua cidade e ajude a converter uma compra em uma adoção.